Que tremedeira sem fim,
Não me deixa sossegado.
Mas deus permitiu pra mim,
Pra amenizar meus pecados.

É o parkinson meus amigos,
Essa cruz vou carregando.
Se isso aconteceu comigo,
É que deus p mim tem planos.

Ergo a taça da amargura,
É o cálice do sofrimento.
É pessoal a deus nas alturas,
Perdão pelos meus lamento.

As vezes esqueço quem sou,
Venho do pó, volto ao pó.
Lembre_se que deus compensou,
O sofrimento de Jó.

Tadeu Soares